Home / Dicas / Menopausa: relacionamentos ruins agravam os sintomas, mostra estudo

Menopausa: relacionamentos ruins agravam os sintomas, mostra estudo

A explicação está no aumento de stress. A condição altera os níveis hormonais do organismo

O período da menopausa é extremamente desconfortável para a maioria das mulheres, especialmente por causa dos sintomas, que incluem ondas de calor, distúrbios do sono e secura vaginal. Por isso, nesta fase da vida, a mulher necessita de apoio emocional, especialmente das pessoas mais próximas, como familiares e amigos. Aliás, a falta de suporte pode até mesmo agravar os sintomas da menopausa, segundo estudo publicado esta semana no Journal of Epidemiology & Community Health. 

Entre os principais riscos aos quais as mulheres estão sujeitas na menopausa é o enfraquecimento ósseo, ocasionado pela queda nos níveis de estrogênio (hormônio feminino). Segundo os pesquisadores, esse risco pode ser ainda maior quando a mulher mantém relacionamentos ruins, seja de amizade, familiar ou conjugal. Isso acontece porque essas relações causam stress que, por sua vez, altera os níveis hormonais, incluindo hormônios tireoidianos, do crescimento e glicocorticoides. Todos esses hormônios interferem no funcionamento e manutenção do esqueleto. 

A equipe explica que essas alterações na densidade mineral óssea (DMO) colocam as mulheres em maior risco de sofrer fraturas ou desenvolver osteoporose. A pesquisa indica que as partes do esqueleto mais afetadas pelo stress são quadril, coluna lombar e fêmur. Com base nos resultados, os cientistas recomendam que profissionais de saúde e familiares busquem criar medidas de intervenção para reduzir os níveis de stress da mulher e, assim, evitar problemas ósseos.Veja também

O estudo

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram dados de 11.020 mulheres na pós menopausa. As participantes responderam um questionário no início do estudo sobre relações sociais negativas e positivas, e funcionamento social (limitação nas interações sociais). A equipe também mediu a variação percentual da densidade mineral óssea das mulheres. Seis anos depois, essas mesmas informações foram reavaliadas. 

Após excluir fatores de risco, como idade, peso, tabagismo, consumo de álcool, terapia hormonal e histórico de fratura, os cientistas concluíram que níveis elevados de stress ligado à relações sociais está associado a menor densidade mineral óssea do quadril, coluna lombar e fêmur. 

Apesar dos resultados, a equipe salientou que não foi possível estabelecer a causa direta entre a degradação óssea e relacionamentos ruins. Além disso, o estudo foi baseado em auto relato e, portanto, as informações podem ter sofrido variações.Veja também

Relacionamento

Um dos principais sintomas da menopausa é o declínio das atividades sexuais. Um novo estudo tentou desvendar o por quê. Os resultados mostraram que, além dos fatores biológicos, como queda nos níveis hormonais, e físicos, como secura vaginal (que pode causar dor durante o sexo), outras questões podem interferir na vida sexual. Entre os fatores estão questões psicológicas e qualidade do relacionamento com o parceiro.

“Desafios de saúde sexual são comuns em mulheres à medida que envelhecem e os fatores que envolvem parceiros desempenham um papel proeminente na atividade sexual e satisfação das mulheres, incluindo a falta de parceiro, disfunção sexual do parceiro, saúde física do parceiro e problemas no relacionamento”, disse Stephanie Faubion, da Sociedade Norte-Americana de Menopausa, em comunicado. 

Segundo ela, os problemas de origem física e biológica podem ser tratados com medicamentos e terapias que ajudam na manutenção de uma vida sexual ativa. Caso o principal seja na relação amorosa, a recomendação é conversar com o parceiro para tentar resolver as questões que dificultam o sexo ou procurar auxílio de um terapeuta especializado em relacionamento.

About admin

Check Also

Meghan Markle será editora convidada da edição britânica da ‘Vogue’

Revista traz capa com mulheres ‘unidas por sua coragem rompendo barreiras’, incluindo a primeira-ministra neozelandesa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *